Logo

Banner

História

A Sociedade Thalia tem sua origem ligada à colonização alemã. A presença das comunidades estrangeiras era tão forte no Sul do Brasil que muitas instituições esportivas ou sociais ostentavam denominações nas línguas originais dos imigrantes.

Nesse contexto, foi fundada em 1882 a “Weringe Thalia”, que teve as atas das reuniões de Diretoria e Conselhos escritas em alemão até o ano de 1918. Esses documentos só passaram a ser escritos em português durante a Primeira Guerra Mundial e por força de Lei.

Os tempos de Guerra impuseram medidas duríssimas também a instituições como a Thalia. Por ordem do Governo Federal da época, muitas atas foram queimadas, reduzindo substancialmente registros históricos importantes. Esse tipo de violência voltou a ocorrer durante o período ditatorial de Getúlio Vargas, com novas mutilações aos arquivos. Mais uma vez, por decisão do Governo, mais atas – além de livros escritos em alemão – foram destruídos pelo fogo. Resultado de iniciativas corajosas individuais, alguns poucos documentos foram mantidos escondidos por muitos anos. É o caso da Ata de Fundação.

Entre as curiosidades dos primeiros anos da Thalia, está a realização das “matinês culturais”, ainda nos Século XIX. A precária infraestrutura da cidade de então “determinava” a realizaçã dos encontros sempre “no primeiro sabado de lua cheia do mês”. Era a solução para dar mais conforto e segurança às famílias durante o deslocamento pelas ruas escuras, sem nenhum sistema de iluminação.

A Sede Centro foi inaugurada em 1942, durante a gestão do presidente Agostinho Bernardo Vieira. A novidade movimentou Curitiba e a Thalia passou a receber um grande número de sócios. Vocacionado para as novidades, o local foi sede de eventos memoráveis, como o Baile dos Estados, em 1956, com a presença dos governadores do Paraná, Moysés Lupion, e de Santa Catarina, Jorge Lacerda, ou o Baile das Nações, em 1960, com a participação de diplomatas poloneses e franceses.

Em 1957, quando a Thalia completava 75 anos, foi realizado o “Carnaval Diferente”. A dedicação de cinco comissões resultou em muita alegria e o desfile de oito carros alegóricos pelas ruas da cidade, a participação no Concurso de Blocos e os inesquecíveis “Gritos de Carnaval”, bailes que lotavam salões – a verdadeira mania da época.

Nos anos seguintes, vieram o “Carnaval Bossa Nova”, para adultos, e o “Baile da Brotolândia”, para menores de 18 anos. E a folia só terminava nas águas do repuxo da Praça Osório, onde os thalianos se divertiam e os curiosos acabavam “vítimas” da brincadeira. Nem mesmo quando a Prefeitura proibiu o fim do Carnaval nas águas da praça, a alegria diminuiu: o banho no repuxo se transformou no “Banho de Cinzas”, na piscina da Sede Centro.

Foi também na “Comendador” que aconteceu a “Festa da Marreta”, em 1960, um verdadeiro festival de destruição para dar espaço a inovações como a piscina térmica. O lançamento da pedra fundamental da obra foi acompanhada por centenas de sócios.

O prédio da Sede Centro é cercado de romantismo. Misses, debutantes, cadetes e seus espadins, artistas famosos, políticos poderosos, atletas, salões lotados, a alegria dos carnavais… compunham a cena ideal para uma das mais importantes instituições clubísticas do Estado. A edificação é tombada pelo patrimônio histórico do município.

A Thalia cresceu. Expandiu-se para o campo com a Sede Fazenda, no município de Balsa Nova, para a praia, com a Sede em Guaratuba e voltou-se definiticamente para os esportes com a implantação da Sede Olímpica, no bairro do Tarumã.

A Fazenta Thalia, com seus 117 alqueires, foi fundada em 1967, durante a gestão de José Vieira Sibut. Hoje, além de atender o associado, a estrutura funciona como uma grande rserva natural, com a reposição de de árvores nativas e pomar.

Cinco anos mais tarde, ainda na gestão de José Maria Sibut, nascia a Sede Praia, em área de 3.500 metros quadrados.

O lançamento da pedra fundamental da Sede Olímpica data de 9 de abril de 1988. O projeto ambicioso e em área de 105 mil metros quadrados foi iniciado sob a presidência de Almyr Sabag.

A Sociedade Thalia passa, desde o ano de 2010, com a posse da admiinistração que tem Vilmar AnildoSchultz como presidente, por um grande processo de transformação e recuperação, com a implantação de sistemas profissionais de gestão e controles administrativos.